terça-feira, 1 de agosto de 2017

BOA NOITE - Pam Gonçalves #BEDA2017

Desde a Bienal do Livro 2016, quando participei de um bate-papo com a booktuber Pâmela Gonçalves, me interessei por seu primeiro romance. Boa Noite foi minha primeira leitura concluída no mês de Agosto!


O livro não traz uma trama muito complexa, ou um grande número de personagens. A narrativa se passa, em sua maioria, na República das Loucuras, local que recebe a protagonista Alina durante sua graduação em Engenharia da Computação. Nos envolvemos desde os primeiros capítulos com a rotina e intimidade dos moradores da república, o que cria um vínculo forte entre leitor e personagens.

Quando não estão em aulas, os moradores da república se dividem entre festas e eventos característicos da vida universitária. Acredito que o principal objetivo da autora tenha sido apresentar aspectos sempre presentes, mas nem sempre comentados, do ambiente acadêmico. As bebidas e drogas, as diversas formas de preconceitos e as intrigas geradas pela convivência são algumas características acrescentadas aos poucos à obra, conforme Alina vai se adaptando e descobrindo novidades de sua nova vida.


Entretanto, todo o livro é permeado pela questão feminina, já que apresenta diversas situações de machismo, principalmente pelo fato da protagonista estar em um curso da área da tecnologia, cujas vagas são ocupadas predominantemente por homens.

Quando um concurso em sua faculdade é anunciado, Alina percebe tratar-se da oportunidade perfeita para denunciar tais situações por meio da criação de um aplicativo. No primeiro semestre de aulas ela conhece Artur. À primeira vista, o príncipe com o qual Alina sempre sonhou, mas aos poucos suas atitudes parecem revelar características de sua personalidade que podem ser nocivas à protagonista.

Embora a letra um pouco pequena, a edição é bonita e a leitura bem ágil, principalmente pelo citado envolvimento com os amigos de Alina (cheguei até a adiar um pouco o término pois sabia que sentiria saudades deles). Os temas retratados são extremamente importantes atualmente, e demandaram extrema coragem da autora, embora por vezes sejam levados ao leitor em um certo tom didático, talvez instrutivo demais, que poderiam ser incorporados à narrativa de forma mais orgânica.


Boa Noite é destinado para o público New Adult (gênero localizado entre o Young Adult e o Adulto. Para saber mais, clique aqui) e é um romance de estreia que deve agradar àqueles que já conhecem a Pâmela dos vídeos e aos novos seguidores.

sábado, 27 de maio de 2017

Lançamento - A Vila dos Pecados


É hoje! Depois de uma semana de divulgação, vocês devem estar curiosos para conhecer a estranha Vila dos Pecados. 

E não é por menos: o que vocês lerão nas páginas desse livro irá deixá-los de cabelo em pé. O lançamento oficial é logo mais, na Livraria da Vila do Shopping Galleria, em Campinas, a partir das 15h!! 


Sinopse: Final do século XIX. Enquanto o mundo passa por transformações importantes, existe uma vila inóspita, que vive à margem da civilização e que tem as suas próprias e estranhas leis.Lendas escuras a rondam e histórias macabras sobre Ponta Poente povoam o imaginário popular.  
Quando o padre Alfonso Anes, um exemplo vivo de amor e resignação, chega à vila para substituir o seu antecessor, depara-se com segredos que o farão duvidar da própria sanidade, e uma onda de mortes trará o caos para aquele lugar ermo. 
Quem estará a salvo? Serão estes segredos o fim de quem os esconde? O que esse universo tenebroso revelará para o mundo?
Um suspense sinistro, que envolverá completamente o leitor e o levará a compartilhar dos segredos da Vila dos Pecados. 


Vai ficar fora dessa? #lançamento #suspense #terror #sorayaabuchaim #aviladospecados

sexta-feira, 28 de abril de 2017

O Exército De Um Homem Só - lido e descrito por Dourovale



Não! Você não sabe do que eu estou falando. Por mais que entenda as minhas palavras ordenadas em frases, você não é capaz de me entender. Sabe por quê? Porque somos unos! Você é apenas o que tem; e não tem o que você pensa possuir.
O que temos realmente de nosso não são os bens, tão pouco as glorias. Nossa memória, nossa falha memória, pode muito bem alterar nossas lembranças e nossa história sem que sequer percebamos. Os que nos consideram amigos e as pessoas que, inexplicavelmente, nos amam portam sentimentos sobre os quais recebemos como dádivas, mas não possuímos.
Os imóveis, assim como qualquer possível empresa, apenas administramos. Os automóveis, dirigimos. As roupas, os sapatos, os anéis, vestimos e nos adornamos. Tudo aquilo que for para uso, mesmo que haja uma folha gritando que somos “donos”, são indiferentes objetos, não nos formam.
As alegrias são vãs. A tristeza é superável. Os amores estão, não são. Nós os vivemos, eternizamos e, se for preciso, distraidamente os esquecemos.
O que podemos dizer ser nosso são os motivos, os ideais, aquilo que nem sempre comentamos mas que impregna nossas crenças, nossos desejos e buscas.  Sonhadores são os que expõem muitas vezes sua essência.
Em 1973, Moacyr Scliar lança pela L&PM “O EXÉRCITO DE UM HOMEM SÓ” para que pudéssemos entender que toda glória, toda miséria, toda conquista, toda derrota de um grupo, de uma equipe, de uma sociedade é, antes de tudo, um resultado individual.
Mesmo sabendo que necessitamos de outras pessoas para sobrevivermos (e quanto mais moderno e isolador fica o mundo, mais dependemos dos outros), toda honra e todo desgosto, toda vitória e toda vergonha seguem um caráter individual e indistributivo.
Não! Você não sente a minha dor, por mais criativo e imaginativo que sejas. Você não
desfruta o meu prazer, por mais companheiro, parceiro ou solidário que estejas. A morte é uma ação individual, assim como a vida.
Você sabe ler, mas não o que eu escrevi. Eu li o Moacyr e entendi, não o que ele escreveu, mas o que li e, por mais que te explique, você nunca vai saber o que compreendi. Desse mesmo jeito, eu nunca saberei do seu entendimento sobre tudo isto que escrevi.

domingo, 23 de abril de 2017

O QUE HÁ POR TRÁS DO CÉU? - Dourovale

As flores não nasceram para alegrar a sua vida! Elas devem ter seus motivos e objetivos próprios; ou apenas vivem sem se a humana preocupação com significados. O que eu sei (ou acredito que sei) é que o vidro do vaso ou o plástico da embalagem não fazem parte dos planos das flores.
Sem a intromissão humana, as Rosas, os Cravos, os Girassóis iriam brotar, abotoar, florar, despetalar, jazer e adubar a própria terra que serviu de suporte para suas existências, alimentar suas raízes e, talvez (quem sabe?), renascer.
Não, as flores não nasceram para você ficar feliz ou infeliz! Nem para enfeitar sua mesa, sua casa, seu dia. Nós e nosso antropocentrismo...

Ontem foi dia de Belas Artes, salas paulistanas que servem como templo ao Cinema. O filme? POR TRÁS DO CÉU.
Caio Sóh dirige, entre outros, Nathalia Dill, Emílio Orciolo Neto, Renato Góes, Paula Burlamaqui, entre outros.
A história florece aos poucos. Os cenários impressionantemente duros se contrapõem às belezas do céu. O Cinza, o Azul. O tema é a vida, o viver, o nascer, o morrer, o renascer.
Assim como as flores, precisamos aprender a morrer o que já foi para não morrer o que somos, para não morrer definitivamente.

Esse Pequeno Príncipe adulto, moderno, POR TRÁS DO CÉU emociona sem ser piegas. É lírico! Poesia cinematográfica! Mas, diferentemente das flores, ele foi criado para ser visto, pensado e para decorar o seu entendimento e as suas emoções.
Não detalho a história para que ela nasça em ti, impressione como permitires.
Permita-te seduzir!

terça-feira, 18 de abril de 2017

Dia Nacional do Livro Infantil!

Hoje, 18 de abril, comemora-se o Dia Nacional do Livro Infantil, data escolhida por ser o nascimento de um grande representante do gênero no Brasil, Monteiro Lobato. 


Para comemorar uma data tão importante, vale a pena conhecer as obras do autor parceiro, Lucinei Campos. Lavínia e a Árvore dos Tempos, Lavínia e a Magia Proibida e Violeta Não Sabe Amar, trazem a magia do universo infantil, discutindo questões como amor e amizade, numa prosa atual e ágil. Para saber mais, visite a página do autor no Skoob, e feliz Dia Nacional do Livro!
 

terça-feira, 11 de abril de 2017

#DESAFIO12MESESLITERARIOS - Mais Leve Que O Ar (Felipe Sali)


A imagem pode conter: textoO livro do mês de março pro #DESAFIO12MESESLITERARIOS devia ser um livro escrito por um homem, e a minha escolha foi "Mais Leve que o Ar", do autor nacional Felipe Sali (presente da Maria Ferreira, do blog Impressões de Maria).

Mais um talento do Wattpad que ultrapassa as barreiras digitais e publica a versão física de sua obra, Felipe traz em seu primeiro romance, publicado pela Editora Lote 42, a história de Melissa, jovem garota do reino magico de Amberlin, que possui o poder de criar com as mãos, flores dos mais variados tipos. Sua pacata vida no reino é transformada quando o príncipe Pablo passa a frequentar a mesma escola da protagonista e a encanta com seu sonho de voar.

Como o título jà diz, o livro traz uma escrita bem leve, mas não por isso rasa. Somos muito bem ambientados no reino mágico, e em toda a mitologia das Druidas (estudantes de magia), um bom exemplo de como seriam os livros de Jane Austen se ela escrevesse literatura fantástica, principalmente pela relação de Melissa com suas cinco irmãs,que muito se assemelha à da protagonista de Orgulho e Preconceito, mas com um tempero nacional.


O livro é permeado pelo sonho de Pablo, e seu invento que pretende fazer o homem voar. Trazendo um forte debate político entre os reinos próximos, e diversas questões sociais semelhantes entre nosso mundo e o mágico, Felipe nos mostra as transformações nas vidas e nas famílias de Melissa e Pablo após o início do relacionamento, que é separado por um grande acontecimento.


É impossível falar sobre o livro, sem comentar o trabalho gráfico da Editora Lote 42 (feito por Daniel Justi), que traz, além da capa chamativa, uma visão panorâmica do Reino de Amberlin numa espécie de dobradura. permeando toda a obra com desenhos que remetem à magia e arquitetura.

Apesar da edição física, a história de Felipe Sali ainda está disponível na íntegra no Wattpad! Não tem desculpas para deixar de conhecer o Reino e conquistar os céus com Melissa e Pablo.


quinta-feira, 6 de abril de 2017

CONVITE - XII Bienal do Livro do Ceará

Oi pessoal, o post de hoje é uma parceria do VidaLida com o autor Lucinei M. Campos, que está convidando todo mundo para a XII Bienal do Livro do Ceará!  \o/



Nascido em 16 de outubro de 1983, Lucinei M. Campos é um jovem professor e escritor de alma e profissão. Carioca, foi criado nas ruas da Maré, um dos maiores complexos de favelas do Rio. Formou-se em História e se especializou em História da África e da Diáspora Africana no Brasil. Divide sua carreira de escritor lecionando na rede pública estadual de ensino local para jovens, adolescentes e pré-adolescentes. Atua no mercado literário como autor independente, sendo conhecido como o Mago Branco, devido à fantasia de um dos personagens de seus livros, que utiliza em suas apresentações. Além da série Lavínia, acaba de lançar o romance juvenil Violeta não Sabe Amar, sua primeira obra no formato digital. Lavínia e a Árvore dos Tempos, lançado em 2014, veio para concretizar um sonho de menino em ver uma criação sua sair do seu imaginário e se integrar ao de outras pessoas: adultos, jovens e crianças que, assim como ele, tem o espírito inquieto a procurar e a contar sempre novas e boas histórias. Lavínia e Magia Proibida, lançado na Bienal do Livro do Rio, em 2015, dá continuidade a esse sonho. (Biografia fornecida pelo autor)

Além de percorrem diversos festivais, os livros são utilizados em sala de aula por diversas escolas, e estarão junto do autor no estande da Editora Vozes de 15 a 22 de abril.

Para mais informações acesse o site do evento clicando aqui!

Até a próxima!